+55 (67) 98417-2849
quarta, 18 de julho de 2018
SET Fev

Ação em parceria entre Município e setor privado marca Semana Nacional da Voz

17 ABR 2018Por: ASCOM PMC10h00
O otorrinolaringologista Fernando Giordano está coordenando a ação para oferecer consulta e exame gratuitos da voz.O otorrinolaringologista Fernando Giordano está coordenando a ação para oferecer consulta e exame gratuitos da voz. / Foto: Divulgação

Na Semana Nacional da Voz, de 16 a 20 de abril, a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF), em parceria com o Município de Corumbá e clínica médica VITA, vai promover ação para diagnóstico de problemas relacionados à voz. A iniciativa faz parte da Campanha Nacional da Voz, promovida pela ABORL-CCF, Academia Brasileira de Laringologia e Voz, Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e Ministério da Saúde.

O Dr. Fernando Giordano, otorrinolaringologista que atua no Município e em rede privada de saúde, explicou que o Dia Nacional da Voz foi estipulado como 16 de abril em 1999. A ideia brasileira foi reconhecida internacionalmente e a data passou a integrar calendário da Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2003. Posteriormente surgiu a ideia no Brasil da realização da Semana Nacional da Voz para promover em todo o país ações gratuitas e beneficentes por serviços públicos e privados como mutirões de avaliações e triagem em pessoas com sintomas sugestivos de doenças da garganta.

A ação que será realizada em Corumbá vai começar nesta terça-feira, 17 de abril. Das 15h às 20 horas, qualquer paciente com distúrbio de voz pode passar pela triagem no Centro de Especialidades Médicas, localizado na rua 7 de Setembro, entre as ruas Cabral e Colombo. Com a triagem, o Dr. Fernando Giordano vai verificar os casos em que há necessidade do exame de videolaringoscopia. Esses pacientes serão orientados a comparecerem na manhã do dia 18 de abril na Clínica VITA, situada na rua Colombo, nº 1419. Eles terão a oportunidade de realizar o exame de maneira gratuita, sem custos para o Município e para os pacientes.

“Serão consultas mais voltadas para problemas de voz. Vamos orientar esses pacientes e avaliar a necessidade do exame para ver se há algum distúrbio na voz, se há ou não câncer, verificar se há nódulo vocal ou alteração estrutural mínima que contribui para uma voz com qualidade vocal não tão boa. Nós, da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia, estamos coordenando essas ações. Cada cidade no país que tem profissionais que fazem parte dessa Associação está realizando a campanha à sua maneira. É um meio de divulgar e explicar problemas relacionados à voz”, explicou Dr. Fernando.

Rogério Leite, secretário municipal de Saúde, acredita que ideias como essa ampliam a assistência médica a pacientes, fortalecem serviços que o SUS oferece e aumentam a disseminação de informações. “Quando o público e o privado agem de maneira a se ajudar mutuamente quem mais ganha com a iniciativa é a população. Perceber que há profissionais comprometidos com o bem-estar em saúde de pacientes mais carentes é muito gratificante. A ação é bastante interessante principalmente pelo fato de o exame de videolaringoscopia só ser oferecido pelo SUS em Campo Grande. Essas pessoas que passarão pela triagem vão poder fazer o exame e receber o diagnóstico na cidade onde moram, podendo iniciar o tratamento de maneira mais rápida”, afirmou o secretário.

De acordo com Dr. Fernando Giordano, modificar alguns hábitos pode proteger a voz e diminuir a possibilidade de problemas nessa região do corpo. O tabagismo, por exemplo, aumenta a possibilidade de distúrbios nas cordas vocais como laringite crônica e câncer. Comer e deitar pode provocar refluxo e prejudicar a laringe, ocasionando distúrbio de voz ou de deglutição. Pigarrear é um hábito que força as cordas vocais levando a problemas. Falar forçando a voz e gritando também é prejudicial. Período seco sem hidratação adequada causa lesões nas cordas vocais. Comidas quentes ou geladas demais prejudicam as cordas vocais de maneira indireta.

O otorrinolaringologista afirmou ainda que o trabalho desse profissional com relação à voz está sempre vinculado à atividade do fonoaudiólogo. Ele explicou que geralmente o diagnóstico do problema é realizado pelo médico, especialmente por meio do exame de videolaringoscopia para avaliação da garganta. O tratamento poderá ser medicamentoso e/ou com fonoterapia, quando o paciente é encaminhado para tratamento com fonoaudiólogo. “O otorrino não vive sem fonoaudiólogo e vice-versa, eles caminham em conjunto”, afirmou Dr. Fernando.

Além da garganta, o otorrinolaringologista também trata de doenças do nariz e do ouvido. As principais enfermidades tratadas por essa especialidade médica são: vários tipos de quadros alérgicos, sinusite, desvio de septo nasal, polipose nasal, distúrbios do sono (apneia), diminuição auditiva, otite, faringite, amidalite, paralisia facial, distúrbio de deglutição, alterações nas pregas vocais e distúrbios do labirinto.

O Município de Corumbá disponibiliza hoje para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) dois otorrinolaringologistas e duas fonoaudiólogas. Os pacientes precisam ser encaminhados pelos médicos das Unidades Básicas de Saúde (UBS) para serem atendidos por esses especialistas.

Comentários
Veja Também
Divulgue 2